Voltar
Vector Smart Object copy 2

Tratamento Térmico

Alívio de Tensões, Calcinação, Recozimento, Solubilização e Envelhecimento Natural

e Artificial.

  • Alívio de Tensões

    Alívios de tensões de produtos trabalhados.

         Submetido a alívio de tensões por estiramento. Aplica-se aos seguintes produtos quando estirados, sendo indicado o grau de estiramento (em %), após solubilização ou resfriamento a partir de trabalho a quente, aplica-se diretamente a placas e barras e vergalhões laminados ou acabados a frio.

    Esses produtos não sofrem nenhum endireitamento adicional após o estiramento. T-510 = produtos não sofrem endireitamento adicional após estiramento.

    T-511: produtos que podem sofrer um pequeno endireitamento após o estiramento, de modo a se enquadrar nas tolerâncias padronizadas.

  • Calcinação

    Queima de macho em areia.

  • Envelhecimento Artificial ou Precipitação T6

    No envelhecimento natural a cinética de precipitação é mais lenta do que no envelhecimento artificial, no qual o controle de temperatura e tempo permite a obtenção de valores de dureza mais elevados. No envelhecimento artificial é possível atingir o máximo de dureza para um determinado tempo de tratamento.

  • Recozimento – condição "0"

    O recozimento de peças fundidas pode ser necessário antes das operações de conformação mecânica a frio, devido à ocorrência de encruamento durante essas operações. É utilizado em todos os tipos de ligas de alumínio, tanto as endurecíveis por precipitação como as que não endurecem por precipitação, entretanto, no caso das primeiras, deve haver um controle rigoroso no resfriamento, para evitar a ocorrência de precipitados durante um tratamento de recozimento para recristalização.

    O recozimento de ligas previamente tratadas para têmperas como W, T3, T4, T6 ou T8 necessita de tratamentos que primeiro façam com que os precipitados atinjam sua estrutura cristalina de equilíbrio e depois coalesçam. Isso pode ser conseguido mediante aquecimento a temperatura entre 355 e 410 ºC, ou pouco acima, seguido por resfriamento até cerca de 260 ºC em taxas de 25 a 40 ºC. Um resfriamento muito lento resulta em precipitados muito grosseiros, o que pode prejudicar as operações de conformação mecânica subsequentes.

  • Solubilização e Envelhecimento Artificial ou Endurecimento por Precipitação – T6

    A solubilização consiste em aquecer o material a uma temperatura bem elevada, próxima do ponto de fusão, de uma maneira que nesta temperatura, com os coeficientes de difusão dos elementos de liga no alumínio já suficientemente aumentados, seja possível a migração desses átomos, proporcionando a dissolução, completa depois de certo tempo de permanência nesta temperatura, das fases secundárias inicialmente presentes na liga.

    Esta etapa do tratamento térmico é fundamental para assegurar que o envelhecimento subsequente, realizado em temperatura bem mais baixa e tempo mais prolongado, ocorram de modo controlado, de tal maneira que os precipitados sejam formados de forma controlada, principalmente no que se refere ao tamanho dos mesmos.

    Quando é feito um resfriamento rápido em água, mantém-se à temperatura ambiente a solução sólida supersaturada. Posteriormente, a manutenção do material à temperatura ambiente (envelhecimento natural) ou a uma temperatura mais elevada (envelhecimento artificial) leva à formação de precipitados endurecedores. No envelhecimento natural a cinética de precipitação é mais lenta do que no envelhecimento artificial, no qual o controle de temperatura e tempo permite a obtenção de valores de dureza mais elevados.

    No envelhecimento artificial é possível atingir o máximo de dureza para um determinado tempo de tratamento, após o qual o crescimento excessivo dos precipitados e a consequente perda de coerência dos mesmos com a matriz leva à queda de dureza denominada superenvelhecimento. O tratamento de solubilização e envelhecimento (T6) só dá resultado nas chamadas ligas termicamente tratáveis, que podem apresentar aumento de dureza mediante tratamento térmico.

  • Solubilização – T4

    Os objetivos da solubilização é por em solução soluda a maior quantidade possível de átomos de soluto, como Cobre, Magnesio, Silício ou Zinco, na matriz rica em alumínio.

Os objetivos da solubilização é por em solução soluda a maior quantidade possível de átomos de soluto, como Cobre, Magnesio, Silício ou Zinco, na matriz rica em alumínio.